sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Amor, sublime Amor



Daí-me asas,
forças para elevar-me
da escuridão de minhas ruínas
para esclarecer minhas profundezas
e me alçar ao pleno potencial de mim mesmo:
meu pleno potencial de Amar.

Daí-me? Não. Renasço sem penas,
mas com estrutura de elevada paisagem
na qual atuarei de maneira sublime
sem preocupar-me com aplausos,
mas realizando a arte do encontro com o Todo.



Nas alturas do Amor mais profundo,

Um comentário:

Livia Monteiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.