domingo, 29 de dezembro de 2013

Amor, a meta-condução

Amor é o tempo de compreensão das vontades.
Amor é o espaço de compreensão das vontades.
Amor é o conhecimento da compreensão das vontades.
Amor é o processo da compreensão das vontades.
Amor é a sabedoria da compreensão das vontades.
Amor é o sinal da compreensão das vontades.
Amor é a compreensão das vontades.
Amor é das vontades 'autopreensão'.
Amor é a gestão das vontades;
____ e as vontades, pura in-forma-a-ação.
Amor é a considera-a-ação das vontades.
Amor, a meta-condução.
Amor, intensa-ação.

 Na gestão da informação, Amor à sustentabilidade,

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Amor traz sorte

Amar apesar da certeza da morte,
Amar pra fazer da vida boa sorte!

O Amor confere a certeza

Não sinto pena
A vida não tem fim nas indecifráveis ruas de Ipanema
O que brota das andanças
É uma saudosa tristeza
Que emerge das mudanças
E do apego à beleza
Do que um dia já foi e já não é mais
Minha alma navega nos meus sonhos
Enquanto meu corpo só cais
Já não há terra à vista
E o que antes eram pesadelos medonhos
Agora são apenas mais uma pista
De que amar é preciso
Justamente viver, sem ser indeciso

Na certeza de que só o Amor nos traz,

domingo, 20 de outubro de 2013

Amor, romântica razão

Pensei que não tivesses me amado.
Mas que injusto que sou com o Amor.
Me amaste, teu erro foi não ter confiado,
No sentimento que emergia silencioso e com dor.

Nada grandioso nasce sem conflito.
A dedicação é que faz do bruto o bonito.
No jogo do Amor o que vale é a romântica razão.
Fostes prática ao invés de se entregar à lógica do coração.

domingo, 13 de outubro de 2013

Love, Sacred Empowerment Lasting Faith (Self)

Feel blessed
While the wind of change
Empowers your journey
- bow to your inner wisdom and rise

To your destiny and beyond
Believe in your path
Shape your dreams
- be the horizon you want to live

At the shinning dawn of your(new)Self,

domingo, 29 de setembro de 2013

Aude sapere et semper fidelis Amor

Se os Amores são cada vez mais líquidos, só nos resta pedir mais uma dose e brindar a Eros, cosmificador do caos, que por tortas linhas tece a eternidade, atualizando a cada ciclo de con-fiança o significado de respeito, honra, comprometimento, lealdade e fidelidade.

Mais do que perguntar se é possível ser fiel nos tempos líquidos de uma sociedade tão altamente fragmentada quanto conectada dos dias de hoje, é se perguntar sobre ao que se quer - pode e até deve ser fiel.

Ao desejo, este volátil combustível do Ser?

A uma idéia, frágil fragmento de uma obscura totalidade desconhecida em constante "plasmificação"?

Ao Outro, este desconhecido em devir, mutante de nossas expectativas e projeções e ao qual poucos dão espaço para revelar-se em sua plenitude sem julgamento e a maioria enclausura em seus enquadramentos? Fulano, o que há contigo, não estou te reconhecendo...

A um nós que é tao construído quanto o Eu – frágil diante de tantos estímulos e obstáculos internos e externos?

Ao que então devemos ser fiéis? A valores? Valores criados por homens demasiadamente humanos e falhos e que de tempos em tempos são revistos e atualizados?

Sim, a valores, mas não estes e sim aqueles, que nos norteiam em nossa busca, que não estão fora em algum lugar paradisíaco, mas dentro de nossos corações – os valores que regem nosso destino e que nos tornam Ser em constante devir.

Sê fiel a teu destino – e flui em harmonia com o todo. Respeita a maré, considera o vento, faz do contexto teu aliado e nunca tira o foco de teu objetivo mais alto; mesmo que seja apenas uma utopia – é para isto que nos servem o sonho e a imaginação.

Ouse ser fiel a seu destino. Sempre em frente – respeitando tudo, considerando o necessário.

aude sapere et semper fidelis Amor - atreva-se a ser o amor sábio e sempre fiel

No líquido que atualizamos quando interagimos,

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Amor do céu

Amor é a força esclarecida (fé) de suportar as perdas e saborear as conquistas.
Pois tudo na vida é transitório; passageiro como o coração, criado pelas nuvens, transformado pelo vento.
Não é tudo um mesmo céu?
Mente em discernimento. Movimento convergente de alternancias atualizadoras de opostos complementares.
Contemple; pela janela de sua alma aprecie seu viver.
Veja. Agradeça. Honre.
Vah. E vença.
Coloque coração na base de referência de toda imagem-ação.
No coração que pulsa unificado em ritmo não-dual,

sábado, 7 de setembro de 2013

Amor, Estrela Solitária, Constelação Gloriosa

Uma voz me perguntou se me sinto sozinho mesmo tendo várias pessoas perto de mim...

A resposta é clara, afirmo que sim.
A maioria das vezes, se eu pensar pelo ego,
Mas se a algo maior me entrego
Já não me sinto só

E esse encontro, que beleza,
Acontece normalmente na natureza,
quando abandono tudo
quando estou só.

Não me sinto solitário
Não mais sofro desse sentimento imaginário
De quem ainda não aprendeu a conjugar-se poesia
Ritmo, rima, uni-verso, alegria

Na métrica da vida,

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Amor, intenção pura que dá frutos

Vi essa árvore crescer,
o tempo passar,
histórias ramificar,
vida se suceder.

Na semente que dá frutos,

Amor, pura atenção plena motivação

A qualidade do espaço é fruto da qualificação de nosso tempo, conscientização de nossa vontade, purificação de nossa intenção.

Na atenção plena à nossa motivação pura,

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Amor, autopoiesis do Ser

Sou todo sentidos e um pensamento: sempre escolhemos aquilo que nos satisfaz; que satisfaz o sentido escolhido, vontade que converge a partir de metavontade à meta da vontade.

Somos este ciclo de aperfeiçoamento, vontade em devir, arte em movimento.

Na autopoiesis,

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Quem ama, sabe: saboreia o Amor, a maior das filosofias a cada gota de vida

O Amor é a maior das filosofias porque é a coerência per se : é princípio, meio sem fim em constante aperfeiçoamento.

No sentido convergido pelo pensamento a partir dos sentidos, sabedoria que saboreia o viver,

Das r-evoluções do Amor que levam ao Ser em Rede

The uni-verse is a poem with one metric - love.

O uni-verso é um poema com uma métrica única - Amor.


                                                                      Teia de Indra

A teia de Indra é a representação mitológica hindu que compreende a vasta existência interdependente: a cada interação da rede encontra-se uma joia. Cada joia reflete a luz de todas as demais joias; cada reflexo então é um reflexo de todos os demais reflexos em um sistema de causa-efeito sem fim - e, portanto, sem começo senão o arbitrário; similar à oposição de dois espelhos e a ilusão de seus caminhos infinitos, tudo começa com uma intenção.

A ideia de que se pode olhar para qualquer uma das jóias e ver todas as outras joias em uma matriz infinita de reflexões interdependentes é semelhante à forma como podemos olhar para uma flor e ver o reflexo de todo o Universo e tudo o que ele contém, dentro dessa único flor, incluindo todos as concomitantes relações de interdependência mútua e processos.

Este padrão se repete no macro e no micro, assim na Terra, como no céu - tudo é beleza calculada; emanação desejada, intenção determinada.




Este é o padrão criado ao longo de oito anos pela relação entre as posições relativas de Vênus e Terra em suas órbitas ao Sol. Vênus orbita o Sol 13 vezes a cada 8 órbitas terrestres, vulgo anos.

E em todos esses anos, estamos a 19 cliques de distância.



Na órbita do Amor que tece toda Rede,

Amor maior

 

Ame - como o nosso planeta nos ama.

Acolhe, nutre e deixa livre pra evoluir.

Sinta como humano, pense como terráqueo, aja como um Ser.

No sentido que sustenta todos os sentidos, Amor que sustenta a Rede que somos,

Saúde é quando há Amor, presença que tudo cura

A comunicação põe em comum dois estados antes distintos - e o que é a saúde senão a firmeza de consensos? A dor nos mostra onde precisamos superar uma etapa, marcada pelo sofrimento; é apenas um marco na longa jornada. A saúde é o diálogo convergente a um novo estado de superação entre o estado firme, zona de conforto que consideramos sadia, e a enfermidade, a não firmeza representada pela mudança a qual todo nascente está exposto. Na presença que tudo cura,

Desejo Amor

Desejo vem do Latim DESIDERARE, “fixar atentamente as estrelas”, formada por DE-, prefixo intensificativo, mais SIDERARE, de SIDUS, “astro, estrela”.

Pense duas vezes naquilo que estás desejando, considerando sua expressão máxima.

O céu estrelado sobre mim ganha outro significado e nesta reflexão revelo a moral em meu coração - é uma more+all.

Desiderata (palavra latina, plural neutro de desideratus, -a, -um, particípio passado de desidero, -are, sentir a falta de, perder, desejar, esperar, procurar) s. m. 
As coisas que se desejam e ainda não existem. = ASPIRAÇÃO, DESIDERATO 

Isto ressalta bem a noção de aspirar a ação à sua expressão máxima. O desejo como meta que se aspira alcançar - não apenas como impulso; mas a consciente relação entre meta+impulsão, eis o vetor da inteligencia.

Desiderata é um termo derivado de desiderare, o que revela que aspiramos que nossa ação se eleve às estrelas - disto em uma época onde o céu era estrelado de tal maneira que nos lembrava de nossa humilde existência.

Saiba desejar seu desejo, expresse-o detalhadamente, a arte está na minúcia.

No desejo que inspira, motiva, organiza, compartilha e sustenta o Ser em Rede,

Amor, gentileza que vem de dentro

Somos menos evoluídos do que os avanços tecnológicos (re)velam. Falta-nos gentileza no trato interpessoal e no trato da informação em si. Somos rascunhos em evolução, esboços de nossa divindade; projete-se!

Na intenção que constrói, ponte para o Ser em Rede,

Amor, o verdadeiro quarto poder

Abaixo à ditadura da informação. Viva a emergência da consciência - e a consciência, mais do que com informação, trabalha com sensibilidade e intenção.

Na sábia condução, mídia sustentável,

Amor, combustível de toda superação

Cada um tem seu tempo e jornada; não se compare, se supere.

No Amor que nutrimos em nosso Ser, combustível de toda superação,

O Amor nunca erra

Só se aprende errando; quando se acerta é porque já se sabia ou se teve sorte - e neste caso, se goza do acerto e não se retem o aprendizado, néctar de toda experiência.

Erra-se o necessário para definir-se o acerto.

No acerto ou na aprendizagem, nunca na culpa, porque nunca no erro, responsabilidade pura,

Amor tecelão

O conhecido tende a desqualificar o desconhecido como adversário - como a agulha, o pano e a linha. Primeiro o desqualifica como inferior; depois o qualifica como adversário - sempre tendo como métrica sua própria medida do universal. Na ponte entre pontos, tecendo a grande rede da vida,

Egito, Amor antigo

Para os egípcios antigos, o coração é o centro da sabedoria, morada da alma.

No Faraó que reina sobre a razão e as emoções, filho do Sol e da Lua, que brilha em nosso peito,

Amor, única Weltanschauung sustentável

Minha WELTANSCHAUUNG é balizada pela noção de FRATERNIDADE DE ELITE - qualificação do tempo - e ASHRAM - qualificação do espaço -, convergindo a uma ideia de ação que moraliza o Estar, tecendo o Ser sustentável.

Na senda, entre São Bento e Gandhi, buscando Ser,

A verdadeira Arte é viver no Amor

A Arte emerge vitoriosa do confronto de intenções;

Na vontade pura que manifesta representações,

O corpo do Amor

O corpo pode ser um obstáculo ou um aliado, dependendo da perspectiva de abordagem, mas definitivamente é p(otencial)arte da jornada - tela na qual obramos nosso Ser, matéria-prima primordial na qual nos esculpimos.

Notar o corpo é um passo importante na dança da evolução.

No diálogo compassivo,

terça-feira, 30 de julho de 2013

Amor, mira e alvo

Somos capazes de parar de errar. Basta afirmar esta vontade no confronto com as demais (vontades).

É uma questão de força interior que costumeiramente só reconhecemos quando fraquejamos, ou melhor, almejamos.

Como é forte a tenta-ação. Há tantas possibilidades; não se culpe. Não carregue cruz mais pesada do que o céu lhe deu em seu mapa natal. Não há pecado, há hamartia - erros de alvo; e todo alvo é uma meta condicionada, um valor estabelecido.

Há inúmeros sentidos possíveis, mas qual o destino desejável? Lembre-se que errar vem do Latim errare, que significa “vaguear, andar sem destino, cometer um erro, transgredir”.

Preocupe-se em determinar sua meta e em afiar-se - a cada respir-ação temos uma nova oportunidade de acertar o alvo; sempre elevando o mesmo a abrangências ainda maiores, englobando ainda mais seres como beneficiários de nossas ações.

Se nem Cristo ficou preso na cruz, ressuscitando após três dias, respire fundo três vezes após um erro, contemple a jornada, aprenda a lição e siga adiante humilde e soberanamente.

Na queda que nos ensina a levantar e andar com mais cuidado, arco e flecha do Ser,


Obra-te arte, Amor!

A arte enobrece o Ser. O Amor, obra.

No atelier de nossas almas,

Amor, cultivo sustentável do destino que é Ser

De todo o meu passado
Boas e más recordações
Quero viver meu presente
E lembrar tudo depois...

Nessa vida passageira
Eu sou eu, você é você
Isso é o que mais me agrada
Isso é o que me faz dizer...

Que vejo flores em você!



Lembro de tão pouco...
esse vazio que quase me deixa louco.
Quero ser eu e desapegar,
deixar você ser você.

Não deixar de viver algo porque algo me desagrada,
mas vivenciar tudo em diálogo franco com minha empreitada.
Agir na ação, nunca na negação.
Mais atos, menos imaginação.

Na flor que desabrocha em nosso coração,

O Amor vê flores em você

O Amor cria jardins nos olhares, foca a beleza das pétalas, organiza o ornamento das folhas, sustenta a firmeza do caule, releva a suspeita dos espinhos, mas o cheiro, o Amor desperta a imaginação do aroma de cada interação.

Que façamos de todas as recordações, boas e más, lições de humanidade para humilde e soberanamente sermos cada vez mais quem somos, errando menos, acertando mais, aceitando as diferenças, nós, que somos tão iguais.

Que minhas ações futuras sejam mais honestas - a começar comigo mesmo -, que não negue minha vontade e respeite a do próximo, que faça destas as margens de minha estrada e da superação do dualismo minha jornada.

Que semeie sorrisos, ceife ilusões e cultive bons encontros - aqueles que aumentam a potência das partes e emergem ao Todo.

Que meu presente dignifique ações futuras e recordações passadas, que eu aceite meu destino na escolha de minha liberdade - que qualidade quero vivenciar condicionado à experiência deste corpo?

Amor pulchram voluntas - o Amor torna bela a vontade. Que a paz seja teu caminho e o Amor o teu guia.

No jardineiro do Ser,

quinta-feira, 25 de julho de 2013

O Amor doa

DOA
- imagina que és um copo cheio de água
e que te curvas ao Sol;
neste movimento, és catarata,
te derramas a preencher teu mundo com o conhecimento que recebestes de todo universo
- E ENTÃO ESTÁS LIVRE NOVAMENTE PARA RECEBER MAIS.

Na Lei que tudo rege,

Amor policrático

Pelo princípio do pensamento digital não há de fato pensamento oposto, tudo é apenas uma questão de lógica convergente; qualquer debate polarizado representa a visão ultrapassada de democracia - a democracia é uma policracia, não um monólogo; são discursos em con-fusão, onde quem estabelece a ordem é a motiva-ação.

Na intenção determinante,

Sabedoria, a colheita do Amor

Acolher o tempo na fluidez de cada grão.

Na colheita do tempo, cultivo do espaço, sabor da dor que ia,

Amor, condução da vida sustentável

Viver é envelhecer uma experiência de estar no constante fluxo da transformação que é Ser.

Ser, Estar e não-Estar.

Na condução da vida que se deseja,

Amor, pura paixão correspondida

Amor é...

paixão correspondida,
intenção sentida,
motivação manifesta,
intensidade que atesta.

...a imensidão que zela.

Quantidade
Qualidade
Forma
Conteúdo

Com+paixão é se adequar para o máximo poder da convergência vivenciar; é ter como meta uma ideia e a ideia como meta; é sair de si e observar a ambos e demais, forjando a rima mais bela que dê ao contexto um valioso verso, poesia a ser vivida de frente, lida na pausa de cada respiração, encarando-se a beleza do encontro, regozijando-se pela arte, sentida na métrica do a dois.

Inspirado no drink de Maracujá com Licor 43 que me foi apresentado pela amada e ao qual batizei com este nome - Dolce Vita, Pura Paixão Correspondida.

Na harmonia entre as partes, homeostase da relação, sabor dolce vita,

Amor fluído

Minhas asas se ancoram na plena fluidez de meu Ser.

Na âncora da compaixão, asas do Amor,

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Amor, escolha afirmativa do destino

O Amor se afirma no destino que se escolhe.

Nos dados que se joga, nas regras que se consente,

No destino, o Amor

Quer ser um pré-destinado?

O destino não é bom ou mal, ele apenas vem.

Afirme-se em seu destino sendo fiel aos princípios escolhidos.

Na escolha consciente da ação, qualidade e direção, que sustenta a visão, intenção que fecunda valores,

Amor, consciência da alegria de Ser

Na luta do Amor a melhor estratégia é se entregar.

E se há medo desta entrega realizar, é porque o Amor se precisa conscientizar.

Nada mais.

Ao verdadeiro Amor só resta a entrega.

Na incondicional alegria de Ser,

As Valquírias do Amor

Percorro meu Ser, confiro meus corpos; no campo de minha batalha há muitos mortos e feridos, vontades moribundas, sonhos esquecidos.

Sou Bünnhilde, a disposição, pronta para a batalha, sempre; sou também aquela heroica vontade que tudo deu de si – aqui venceu, ora pereceu, de toda sorte sou a face de mil heróis, sorvo suas virtudes, minha sede é guerreira, sou a convergência das virtudes da vontade, sou a escolhida do desejo.

Sou Siegmund, a vitória dos menores, daqueles que não tem voz, da vontade que ainda não se vingou.

Sou também Sieglinde, a vitória tranquila, em cujo braços me deito confiante para gerar a semente livre que despertará a paz da vitória.

Sou Wotan, o desejo que trovoa todas as vontades; e como berço de toda vontade, temo Alberich, o Senhor Espírito da Natureza, como todo poder constituído pela potência das vontades, temo por meu fim e temo por não me realizar por inteiro, logo eu, Senhor dos Deuses, raio e trovão; temo a natureza, pois não sou livre, sou preso às minhas crenças e criações – crio a liberdade, mas dela sou refém.

Sou a Paz da Vitória sobre mim mesmo, sou a libertação da liberdade, sou a liberdade do si mesmo, vontade que se entrega, sou Siegfried, aquele que matou o Dragão, vontade que se esclareceu – Amor que forjou-se a partir do impulso reptiliano; sou Übermensch, nem humano, nem divino, apenas algo além – para todos e para ninguém.

Minha casa XII é Valhalla, onde o Ceifador guarda a virtude heróica imaculada; sou de estirpe guerreira, meu destino é a glória, minha crença, vitória.

Sou Amor fati - sou Jupiter-Saturno, aceito e transformo meu destino, sou fiel à minha imagem e semelhança, construo o mim mesmo.

O Amor à busca ou a busca do Amor

As pessoas buscam melhorar os negócios, aumentar a renda, mas raramente buscam a verdadeira, primeira e última liberdade - o auto-conhecimento que liberta, pacifica, potencializa a felicidade nata e garante assim a melhora holística e sustentável; também os negócios e a renda.

Vá além de ti, mergulha em ti mesmo e entrega-te ao Todo - garanta assim tua parte. Encontra em ti toda humanidade; aperfeiçoe esse valor universal.

O quem e como depende sempre do por que/porque; para que todos possam se beneficiar, cada um tem que se responsabilizar.

Na escolha de seus princípios e coragem de sua sustentação,


Do Amor, da emergência e da Rede

A violência é a linguagem da emergência inconsciente.

A paz, linguagem da evolução dialogada, emergência consciente da felicidade inerente ao Ser.

Na consciência da interdependência,

A Jihad é Amor - luta interna, generosidade exterior

Meu corpo é o tatame que abriga a Jihad essencial, única luta possível, terra santa peregrinada com oito passos que contornam o meu Ser.

Nos oito passos - caminho óctuplo de Buda, feng shui da vontade,

Amor, qualidade do momento, gesto do Ser

A qualidade do momento está ligada à intenção de cada gesto - e gestos bons não precisam de desculpas, precisam de mais corações respirando vontade de colaborar (ao invés de ter razão).

Que a Luz reflita sobre si e se transmute em gentileza colaborativa emanada por todos.

Gostaria de chamar atenção à partícula SI, propositalmente substituindo o TI.

Comumente desejamos Luz aos outros e esquecemos de aplicar a mesma Luz em nossos atos, muitas vezes devido a um inconsciente sentimento de superioridade. Deseje Luz ao próximo verbalizando, mas também inspirando através de seus próprios atos - que cada gesto compartilhe gentileza.

Generosidade gera felicidade.

Na felicidade geradora,

Em respeito ao Amor, respeito ao sagrado

Não façais da casa de meu Pai uma casa de negócio.  ~ João 2:15-16

Parece que muitas Igrejas, inclusive a católica (ao menos historicamente), precisam reler sua escritura.

E não apenas no Cristianismo: o dharma shopping e outras manifestações da espiritualidade fashion, ardilosas armadilhas do ego, revelam que a transposição dos hábitos cotidianos para o ambiente sagrado é um comportamento que interliga as fronteiras das crenças e demonstra que as religiões estão falhando em sua missão primordial - re-ligar o indivíduo à sua fonte primeira, o Amor, através de uma jornada de purificação de valores e crenças, rumo a um comportamento sustentável ancorado na motivação pura de beneficiar todos os seres.

Buda está para o Hinduísmo, como Jesus está para o Judaísmo. E ambos estão para a humanidade como irmãos maiores.

É só o Amor - o resto é conceito; somos todos um em união não-dual.

No caminho que todos percorrem,

Amor, sorriso cotidiano

Sorria para si e seja gentil consigo e com todos que entrarem em contato com sua existência. A vida é mais do que aquilo que passa na TV - é o filme que se projeta na mente-coração.

Sê teu diretor e personagem principal, atue no roteiro d(e tu)a vida com Amor e devoção.

Eu te Amo, tenha um bom dia.

Na Luz, câmera e ação que ocorrem a cada pulsação,

Amor, lança e escudo

Além de qualquer categorização e conceituação, conecta-se ao que é bom, sem julgamento - principio da liberdade primeira e última, âncora e asas do Amor.

Na abertura que é viver, fé baseada no Amor,

Amor à criança interior

Minha criança interior (não) é (mais) um alien a quem reencontro como amigo, de braços abertos - é a força (da pureza e da sensibilidade) que me torna um homem com a clareza e resiliência para Amar.

Só os fortes amam - eis o ponto de convergência onde Nietzsche e Saint-Exupéry se encontram.

Na fraterna aceitação de nossas diferenças internas,

Amor, exercício da virtude

Se Odin sabia que os deuses morreriam no Ragnarok, por que montava seu exército mesmo assim? 

Por que enviava suas 9 filhas, as valquírias, representantes da virtude guerreira, para escolher os melhores soldados?

É por acreditar poder mudar seu destino? 

Ou será que é simplesmente para exercitar-se em sua virtude, posto que hábito?

Será que temos a liberdade de mudar nosso destino ou no fundo isto tanto faz, sendo o importante aperfeiçoar-se o que se é e, assim, quem sabe, emergir a um destino concebido corajosamente no confronto das forças que nos tornam assim, demasiadamente humanos, divinamente imperfeitos em busca de superação.

No exercício da virtude,

O pensamento do Amor é a memória

O pensamento é uma memória que vem do passado (recorda-ação) e do futuro (imagina-ação), refletir o (valor-ação) presente.

A imaginação é o projeto que idealiza a ação; a recordação, a avaliação que retoma a cor da ação (coração) expondo habilidade e intenção.

O Amor é a forja em busca da perfeição do Ser, alternando o Estar entre o extremo frio das recordações e o extremo calor das imaginações, moldando a memória no presente fluxo dos acontecimentos.

Na ação não-dual da mente, imagina-ação e recorda-ação que balizam e margeiam toda sustentável ação,

Amor guerreiro, Amor donzela, Amor íntegro

Serpentes, Dragões e outros répteis são utilizados na mitologia e nas religiões como elementos a nos recordar de nosso cérebro reptiliano a ser domado e vencido em nossa ascese humana.

Quando São Jorge - do latim Georgias, de origem grega, onde geos significa terra e orge cultivo -, subjuga o Dragão, demonstra que nossa luta é vencer os impulsos instintivos, canalizando-os à perfeição - divina meta da ação humana.

O Amor é este cultivo compassivo, onde cada elemento tem seu lugar e gentilmente se respeitam as diferenças  convergidas à potência e estas, ao poder de Ser - o que se quer?

Na integridade do Ser,

Amor planejado

Planeja teu dia para que possas incluir em cada ação o espaço para o regozijo, o tempo para o deleite, a possibilidade da gentileza. E florescerá.

Na razão do Amor,

Amor, expressão interior

Amor é a expressão do contexto global de nosso ânimo - o Todo de nosso mundo interior e suas nuances.

É artista, obra, é arte.

Prima por tua excelência, entrega-te ao Amor.

Na es-cultura do teu Ser,

A bênção, o caminho, o Amor

Amor é tanto a forja pura de suas habilidades de lidar com situações que desafiam teu Ser e o moldam, quanto as definições de teus quereres e valores - vale ouro e qualifica tua meta.

Benção não é o que recebemos - isso é karma -, mas o que fazemos com o que temos (recebemos e cultivamos), eis o divino que se manifesta na caminho de nosso dharma, nossa escolha pessoal e intransferível.

No caminho que faz sentido, ganho que se obtém quando se entrega tudo ao Amor,

A sabedoria do Amor

O Amor traz a certeza de que o planeta não corre perigo: quem corre perigo de extinção somos nós, humanos, que em nossa arrogância não enxergamos que o planeta vai bem, obrigado; melhor ainda sem nós - devemos então fazer por merecer estarmos por aqui.

Preserve-se - exercite suas virtudes em pleno Ar que ventila seus pulmões, alinhe o Fogo de suas vontades ao bem do superorganismo Terra, planeta Água.

Na prática que cura, posto que integra e respeita,

Amor, virtude da vontade

Gesamtkunstwerk - oh, du Liebe!

A virtude da vontade é convergir suas potências ao poder.

É o Amor que integra todas as formas de expressão.

Na plenitude do espírito,

Amor, necessidade do desejo

Sabe aquilo que é necessário fazer? No fundo você desejou.

Na base de toda necessidade existe um desejo; necessidade é a coerência do compromisso desejável.

O destino do desejo é a necessidade; toda vontade necessita se realizar.

No desejo necessário a todo desejo,

Amor - por um novo sistema

Toda diferença de capital gera perda de liberdade; para garantir este direito inalienável à vida, a liberdade primeira de cada ato, o capitalismo precisa remunerar a todos igualmente, sendo a diferença de "status" (devido a complexidade/estudo da profissão), bem como de dedicação (o diferencial qualitativo de cada pessoa), equacionada pelo destaque dado a cada contribuição diferenciada.

Meritocracia humana.

Uma sociedade onde todos trabalham o mínimo e aproveitam o máximo porque todos recebem igual - sem exploração não há intenção de burlar, mas de dar seu melhor.

Por que queremos trabalhar tanto? Se reduzíssemos as horas trabalhadas, não haveria desemprego, todos teriam ace$$o e, portanto, a pobreza e a criminalidade encontram seu limiar mais baixo possível. Todos trabalham, todos tem mais tempo para aproveitar a vida e se desenvolverem como seres humanos.

Utopia?

Basta dar educação decente, fazer planejamento familiar e sermos mais honestos com nossos desejos - quanto mais exploramos nossos desejos, mais descobrimos que queremos uma só coisa: ser feliz.

E isto é muito mais fácil do que se imagina.

Compromisso: a partir de hoje, todo projeto que participar e tiver poder de decisão, hora-homem será paga igualmente a todos os envolvidos no projeto.

Na coerência prática,

Amor, saudade do que existe

Ah, a morte,
aniquila os desejos de toda sorte
não mata, todavia
a saudade do que existia.

No Amor que cria, memória do futuro, 

domingo, 21 de julho de 2013

Amor - do sagrado na alimentação

Domingo, Dominus Day, dia do Senhor; Sonntag, dia do Sol - bom para refletir sobre hábitos.

Olhe nos olhos de um animal e sinta sua humanidade transcender através do carinho e cuidado para com todos os seres.


Vejamos o que as sagradas escrituras versam sobre o vegetarianismo:

Disse-lhes mais: Eis que vos tenho dado todas as ervas que produzem semente, as quais se acham sobre a face de toda a terra, bem como todas as árvores em que há fruto que dê semente; ser-vos-ão para mantimento. ~ Gênesis 1:29

O pecado de Adão e Eva, protótipos humanos, foi o pecado da carne - não o bom e energizador sexo, mas a ingestão de carne, que maculou suas mentes e deturpou suas visões, expulsando-os do paraíso: não física, mas metafisicamente, já que paraíso e inferno são pontos de uma mesma vista.

Mas aquele que sacrifica um boi é como quem mata um homem. ~ Isaías 66:3

Lembremos que o Quinto Mandamento é NÃO MATARÁS - onde o "o quê" não especifica espécie, perspectiva em latim, o que leva à compaixão tanto aos demais seres, quanto a demais pontos de vista que igualmente respeitem a vida como bem inalienável.

Lembremos também Daniel 1, onde a dieta vegetariana é claramente dita como mais saudável que as carnes. Destaco: "Experimenta, peço-te, os teus servos dez dias, e que se nos dêem legumes a comer, e água a beber". (Daniel 1:12) O resultado? "E, ao fim dos dez dias, apareceram os seus semblantes melhores, e eles estavam mais gordos de carne do que todos os jovens que comiam das iguarias do rei". (Daniel 1:15)


A ciência incha, mas o amor edifica. ~ 1 Coríntios 8:1

Naquilo que somos, posto que comemos, caminho sem sofrimento na ascese do Ser,

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Amor moinho

Marte em Câncer - Dom Quixote

Na atual configuração (do astral e da sociedade), somos como Dom Quixote, o fidalgo que combate monstros de seu imaginário, sentimentos menores que o apequenam e levam a buscar refúgio em valores tradicionais - nobres e em alguns muitos casos ultrapassados - e que em sua jornada acaba por enfrentar a ilusão de suas fantasias para, por fim, descobrir que não é herói (por conceito ou imposição) e que não existem heróis.

Eis o ato de heroísmo que nos cabe: não há valores outros que aqueles que criamos e sustentamos através de nossas emoções-ações.

Use a imaginação para dar novos contornos à sua realidade, sem nunca esquecer a voz que vem do/da Pança - a realidade dos desejos que conduzem ao bom e justo combate.

Vista a manta de suas nobres intenções, arme-se com a lança da imaginação, o escudo da razão e a espada da sabedoria e combata seus inimigos internos para conceber um novo mundo particular, aquele que sustenta o universo em constante expansão: um corpo cuja nobreza não é imposta e/ou castrada, mas exercida no apocalipse de cada ação, qualidade do Estar, atitude que é Ser.

Conscientize-se dos ventos que movem teu moinho, engenhe-se.

Na luta do Amor a estratégia é se entregar,

domingo, 14 de julho de 2013

Sol, virtude do Amor, consciência de sua Weltanschauung

Domingo de sol macio.

Reflita sobre a tua presença - o que iluminas, o que aqueces, o que emanas?

És o Sol de teu próprio mundo - que valores orbitas?

Um sol que te envolve com seus raios como veludo e te eleva a um estado de conforto consigo mesmo, um estado de consciência natural, de harmonia com o poder da vida, de sabedoria de teu poder, de humildade perante o Todo e tranqüilidade consigo mesmo - na justa condução do que é necessário.

Estar onde se está, ciente da energia que se manifesta e se conduz conscientemente como se quer; devir no Ser.

E esse querer tem como meta um esboço de seus princípios, perfazendo o PROJETo da AÇÃO, intenção que nos impulsiona e nos projeta para além de nós mesmos a partir da motivação pura (a escolha radical daquilo que nos norteia, voto da vontade), absoluta - princípio que cria princípios -, e a atenção plena, relativa, convergência que molda o VALOR-da-AÇÃO.

Daí a importância da meditação, que abre espaço para a natural revisão dos valores e afirmação de princípio e fortalece a habilidade de foco, capacidade de entrega ao Outro, que o momento que nos con-figura- somos encontros, atualizamo-nos a cada interação com o externo.

O que gera e garante a sustentabilidade do Ser: me-dita-a-ação - gera motivação pura, garante atenção plena, responsabiliza-te por tua Weltanschauung.

Na auto-determinação de nossa existência, virtude do Amor,

sábado, 13 de julho de 2013

Pensa, o Amor

A lógica do Amor é sentir o olhar.
______________ é pensar.

Pensar é sentir o olhar.

É refletir a imagem externa e revelar seu sentido na câmara escura de nossa química interior - o fato do mundo, colorido e enquadrado individualmente - o mundo em um pixel.

Somos esse pixel, tijolo virtual que a tudo constrói - qual teu projeto?

O que sustentas? O que crias, o que manténs? Muro ou pontes?

Que sejamos pontes - belas pontes que conduzam a belos horizontes do encontro do familiar com o desconhecido, do Eu com o Outro, de Nós com o Todo.

Na idealização prática da justa escolha - responsabilidade imediata, comprometimento espontâneo, alquimia do Ser,

A lógica do Amor é sentir o olhar

Olhar que constrói,
lógica que sustenta,
sentimento que expande.

No pensamento animado que conduz o diálogo ao discurso,

Amor, consciência purificadora

A purificação do Ser passa pela conscientização do Estar.

Respeite o momento. Obre-se arte, ó artista de si mesmo, torne belo cada momento pelo instante de teu olhar - aprecia o belo, cultiva o bem e colherás o sublime.

Pense-se. Ame-se. Sinta-se. Supere-se. Entregue-se ao prazer de obrar, de idealizar o ato, de encenar a vida com toda virtuosidade que sua visceralidade pede e virtude que o coração confere, dignificando-a como desejo, arquitetada pela mente, projetada pela fala, que os sentidos corporificam e a mente-coração sente; valoriza.

No olhar que constrói realidades sustentáveis, cujos destinos futuros tem seus pilares erguidos no passado e suas vigas projetadas no presente,


sexta-feira, 12 de julho de 2013

Amor, espelho da sabedoria moral

Toda ideia se atualiza na sua moralidade a partir da reflexão de cada ação - que por sua vez a ela reflete, em um constante fluxo de expansão física e metafísica, ampliando nossos sentidos.

Na busca da perfeição,

Amor, escolha radical

Nossas escolhas determinam a moralidade de nossas ações.

Na escolha radical, base de toda ação,

Do Amor divino em cada gesto humano

Deus não joga dados, coloca intenção.

À sua imagem e semelhança, devemos qualificar nossa ação, conscientizando nossa intenção a cada passo, verbo, ação. Com atenção ao que é divino, valoriza-se toda motivação.

Em nosso gesto de atenção, focamos a motivação que garante a intenção inicialmente gestada na semente da atenção.

No gesto divino que humaniza cada ato, atenção plena que garante a motivação pura,

To Love your work

Mind - your own business.

Love your mind, mind your Love.

Be nice,
be Love,
think always twice.

Be Love,
be kind,
make love to your mind.

Be the CEO of your life, be Love - the best personal knowledge manager,






Love rocks!

















Even mountains are on the move towards destiny.

Rock your Self!

quinta-feira, 11 de julho de 2013

A valor-iz-ação do Amor

Se mentes dão frutos,
É o florescimento de sua verdadeira natureza
que ocorre no cultivo de nossos melhores grãos.

Emoções - potenciais -
Sentimentos imagináveis,
Sentido-dia-logado,
Idéia esboçada, Ação esculpida

Na escolha do sabor de nosso viver, verdadeira sabedoria que é Ser, valor de estar,

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Eternidade, caráter do Amor

Caráter é destino e este tão sustentável quanto a tomada de consciência de suas ações e conseqüências - deliberando o próprio karma ergue-se seu dharma, este caminho que nos liberta e engrandece; é como se houvesse uma semente de eternidade na ação benevolente, reflexo da atenção plena da mente à pura motivação do coração.

Caráter vem do Latim CHARACTER, do Grego KHARAKTER, “marca gravada, sulcada”, metaforicamente “marca, impressão ou símbolo na alma”, “qualidade que a define”, de KHARASSEIN, “gravar”, de KHARAX, “instrumento pontiagudo”, do Indo-Europeu GHER-, “riscar, sulcar”. (fonte - www.origemdapalavra.com.br)

No Amor, plenitude do Ser,

Amor, guia sustentável do fluxo da vida

Vida, este fluxo que se conforma por entre acontecimentos e deságua em doces lembranças de um infinito oceano de paixões.

No futuro que espelha nossas intenções mais profundas,

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Amor, dis-curso que é Ser

No diálogo que somos, discurso coletivo que manifesto e represento, idéia que sou, em constante atualização.

Uma perspectiva de ação do Todo
em perseverante auto-conhecimento e consciente ação.

No crescimento qualitativo,

Amor, re-tensão da enteléquia que é Ser

O Amor é o motor-habilidade do Ser, vida que se atualiza a cada re-tensão, atualização da convergência dos impulsos à vontade e da convergência destas em intenções.

No diálogo que somos,

A retenção do Amor é qualidade e perseverança (qualidade-motor)

O Amor nada detém.
O Amor, nada detém.

O Amor escolhe,
O Amor nada retém.

Qualifica a vida,
É de nada refém.

O Amor se torna,
O que se é, amém.

Na enteléquia que é Ser, perseverante qualificação,

Amor, espectro da vida

"Because the night belongs to lovers..."

É na escuridão de um novo dia que se fundam os valores-motores e se forjam as intenções-habilidades-guia da jornada da Luz.

Na consideração do espectro da vida, entusiasmado por Plutão em Capricornio...

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Amor, segurança das escolhas

Amor é a Força que dá clareza na escuridão e coerência ao caminho; a Luz da eterna travessia que é Ser, Energia do sempre Estar - presente que é Viver.

Marte em Gêmeos, Mercúrio em Câncer: cutting the crap, getting to the point!

Only LOVE MATTERS.

No fluxo que banha todos os caminhos e nutre todos os processos,

Na Vizta do Amor

A consciência emerge como a espuma da onda na negritude da noite inconsciente.

Na maré que jazz no improviso da vida,

Amor, (z)elo holístico

Amar é estar atento ao Ser em suas infinitas manifestações.

No detalhe que nos faz Ser toda diferença,

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Amor, qualidade da liberdade que remove obstáculos

A Liberdade do Amor é a cura que remove todos os obstáculos.

Na voz da alma, passarinho que canta com devoção, forte alegria do Ser,

(Obrigado, passarinho por encantar o meu dia e vibrar a manifestação do Guru que remove obstáculos através da Cura, Amor que liberta o potencial enraizado.)

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Amor, do fluxo eternidade

O nascimento é a porta para a atividade de Estar, presente que é viver.

A morte, passagem para a eternidade, saudade do não-Estar, obrigação do vivente.

Vida, esta convergência de opostos que se complementam no Ser, a crença no Ente que perpassa os fluxos e ciclos e nos ensina a Ter - Fé.

Na aurora de novas vivências, horizonte livre ao raiar da felicidade que emana das pulsões de Amor que corre nas veias invisíveis deste corpo social do Ser em Rede que se edifica a cada interação,

terça-feira, 9 de abril de 2013

Amor anti-rapinagem

É preciso coragem para lançar-se contra si mesmo e caçar sua baleia assassina, confrontar-se com sua própria rapinagem ao invés de perseguir o próximo como bode expiatório, cordeiro de rebanho que costumamos ser, inconscientizando nosso lobo.

Inspirado em Moby Dick, lanço-me a mim mesmo como lança, baleia, nau e mar,

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Amor, uni-verso, múltiplas rimas

Que meu Amor seja do tamanho do mundo e seja o Leitmotiv de todo uni-verso, interface de toda interação.

Na órbita que sustenta a vida nos mais diversos mundos,

Da vergonha ao Amor


O botão apertado
Desabrochou em Rosa
Gerou espaço
Perfumou o tempo


Toda perda é uma oportunidade
Galáxias desabrocham na intenção da mente-coração
A vida orbita a beleza, protegida por espinhos
É nas grandes perdas que se encontram os maiores ganhos


No Labirinto do coração, Minotauro - o ego - não tem vez,

Onde o Amor está

Deus está quando eu não estou, pois fui ter com o Outro. De dentro de meu carro, embalado pelo jazz, confortado por uma boa roupa, vejo um morador de rua, deitado no chão frio, em frente a apartamentos com vista pro Cristo; o olhar se afoga na Lagoa, não enxerga o próximo mais do que como indesejável, quando não inimigo, o diferente de seus planos. Contemplo. Onde está Deus nisto tudo senão dentro de cada um de nós que se compadece e vai ao encontro do outro - em pensamento, fala e ação. Na escuta do coração,

Surrender to Love

Let me defeat my past with the power of my heart and the wisdom of my sword.

Kneel before Love,

Amor, profunda vivência

Já que só se vive uma vez - mesmo que em eterno retorno -, nosso tempo é precioso demais para se deixar as coisas na dúvida ou ignorância: é preciso viver a fundo as coisas do mundo e pra valer tudo aquilo que se escolher! Na profunda vivência que é Ser,

Desejos do viajante do Amor

Evite picos e vales, ande soberanamente na planície de teu Ser e se porventura andar por altos e baixos, regozije da paisagem e aproveite para contemplar o Todo sob múltiplas perspectivas.

Sigamos juntos pelo caminho da Luz com a força da fé e a certeza do Amor, eis meu desejo para com os atuais amigos e com aqueles que ainda não pude conhecer, o universo é fraterno, basta se abrir para esta experiência além-ego!

Do viajante Amor que vos toca, perto ou distante, sempre presente no instante.

Amor, ponte para a felicidade

As possibilidades são externas, a certeza é interna - o Amor a ponte que desperta a confiança em Ser na destreza de Estar e serenidade do escolher.

No Ter que compartilha o melhor dos mundos possíveis,

O Amor que Eu Sou

O que Eu Sou é apenas uma medida do que eu posso Ser (e do que não devo).

Na constante evolução que é Ser,

O Amor espelha o paraíso na Terra


O paraíso é no Espelho - basta olhar com outros olhos.

Na onda que é viver,

Amor, mestre de obras interior


De dentro daonde se tudo é um só coração?

De dentro da certeza de que somos constante lapidação,
artistas da vida,
cujo projeto intuimos
em nossa mente-coração.

Na transcendente imanência que é Ser através dos múltiplos 'Estares',

Coração, a simples mente do Amor

Faça hoje, não deixe nada pra amanhã.

E não deixe pra amanhã o que puder deixar pra lá!

No diligente discernimento do coração, clareza da mente,

Do meu Ser, Amor

Esta embalagem deverá ser reciclada.

Em caso de resíduos, queimada.

Seu pó aspira à Natureza, seu Ser aDeus.

Somos Ser aDeus, em constante partida em busca de união - sempre em devir, solucionando e solvendo.

No testamento que encaminha a vida,

Amor, responsabilidade pelo destino que cativas

Há um ponto de convergência entre Saint-Exupéry e Nietzsche: só os fortes amam de verdade.

E apesar da verdade.

Nos opostos que se tornam complementares,

Amor, admiração e reverência


“Quanto a mim, as coisas podem ser mera aparência, neste caso, também eu sou aparência, e assim serão elas sempre meus iguais.

Eis o que as torna para mim tão caras e venerandas: são como eu. Por isso posso amá-las.

E com isso te comunico uma doutrina que te fará rir, ó Govinda: tenho para mim que o amor é o que há de mais importante no mundo.

Analisar o mundo, explicá-lo, menosprezá-lo, talvez caiba aos grandes pensadores.

Mas a mim interessa exclusivamente que eu seja capaz de amar o mundo, de não sentir desprezo por ele, de não odiar nem a ele nem a mim mesmo, de contemplar a ele, a mim, a todas as criaturas com amor, admiração e reverência.”

Siddartha, Hermann Hesse

Amor, as perspectivas de ação que convergem ao Todo

Reconhece. Aceita. Entrega. Supera.

E mantenha-se em seu caminho - obstáculo é tudo aquilo que aparece em nossa vista quando tiramos o foco de nosso objetivo.

E, de tempos em tempos, checa o objetivo e a motivação deste objetivo.

Respire e cultive a atenção plena.

Coragem para constantemente afirmar-se mesmo diante ou contra si mesmo.

O Eu e os demais valores (que o constituem) devem sempre ser checados e atualizados - são perspectivas de um Todo em constante colapso e reestruturação.

No devir que só faz sentido e se torna sustentável por Amor,

Amor, vermelho e amarelo


Acordar cedo para raiar o dia
Brilhar o tempo com toda alegria
Elevar-se a Deus em tons de vermelho e amarelo
Todo canto agradece à Natureza nosso elo

Na fé que amanhece a cada entardecer da esperança,

Amor, escolha sem medo

Não importa o que você quer ser.

Com medo, nada se tornará, tudo te transtornará.

Conquiste-se!

Livre-se do medo e seja livre para escolher com toda responsabilidade.

Na liberdade da escolha responsável pela nossa felicidade,

Amor, emergência do Ser a partir de fragmentos do Estar

Emergência - processo de vir a ser em rede.

Uma idéia, um alvo, a meta como princípio, o princípio como meta.

Que tudo seja caminho; à ressurreição!

Profundamente superficial Eu Sou, uma nova dimensão de Ser em Rede que a maioria não tem fôlego, abertura e coragem para exercer.

A provoca-ação é o impulso à consciência; o familiar a armadilha mais perigosa.

O que me provoca me motiva.

Na constante convergência de fatores internos e externos em nossa secreta condução a um sentido só nosso que obrigatoriamente é compartilhado com o Todo,

Der Sieg der Liebe, Triumph des Lebens

Der Sieg der Liebe wird nur zu einem Triumph des Lebens, wenn nach der Eroberung auch die Pflege - dieser konstante Sieg des Willens -, kommt.

Im Willen zur Macht ist nur eines von Bedeutung: wieviel man von seinen Werten - mit so vielen wie möglich - teilen kann.

Jenseits des Guten und Bösen, ohne Kritik, mit viel Vernunft,

Amor, desafio corajoso

Podemos cair, podemos tombar, mas ninguém pode nos acusar de não ousar e tentar e, apenas por isto, já somos vencedores, pois sabemos, como ninguém, a convergir esforços, a refletir, a (nos) superar, a levantar e continuar na caminhada que nos leva cada vez mais distante do que nós éramos para ficarmos cada vez mais próximos do que podemos ser - e é justamente isto que somos, uma passagem, um canal que trafega uma mensagem, valor em constante afirmação.

Vença-te a ti mesmo e conquistarás o mundo.

Na ousadia de estar presente ao Ser,

Amor, profunda emoção do Ser

Entregue-se às suas águas sem mágoas - deixe fluir, deixe limpar, do fundo emergirá tudo aquilo que te fará sarar.

Da mais profunda emoção do Ser emerge a sabedoria que nos conduz ao estar além do ter.

Na purificação que é estar em tua presença,

O Amor transcende o medo de Ser e traz a verdade ao estar

É tudo verdade
em uma sociedade
onde sem alarde
o homem já não vale
nem sua metade

Esse último homem
de valor algum
a quem falta coragem
de não ser apenas mais um

Na transcendência do medo de Ser, a imanente verdade que é estar,

Amor, consciência da vontade

Amor, o desejo de querer a vontade,
a ponte que faz emergir
do mundo dos sonhos
a concreta realidade.

Na imaginação construtora do melhor dos mundos vivíveis, viáveis e justos,

Amor, o desejo de querer a vontade

Queria
Ter-te mais que em meus braços
desenvolta em laços
Consentidos por nós dois

Queria
Estar em teu corpo, sempre agora,
a todo instante, a cada hora,
nunca antes, nem depois.

Queria
Não querer,
mas ter-te,
Sem da distância sofrer.

Quero
ter tempo para vencer a distância e o sofrer,
diluir esta vontade no espaço eternidade,
obrar este infinito querer.

Na força que é ponte sobre o abismo do espaço-tempo, eternidade que é Ser,

O Amor que vê o melhor do Ser

Havia um tempo, onde a métrica era cósmica e a medida eternidade.
Havia um espaço, cujo centro estava em toda parte e cuja periferia se encontrava em lugar algum.
Havia um conhecimento, onde o discernimento contemplava e a razão não julgava.
Havia um Ser, para o qual o importante não era ter, mas estar na plenitude da tua presença.

No passado do verbo haver, onde se vê o presente de um futuro que merecemos, sabedoria que nos torna o melhor que podemos Ser,

O destino do Amor é a praia

Quanta coisa foi,
quanta coisa veio.
E na maré da vida
somos apenas espuma em devaneio.

Nas ondas da existência cíclica,

O Amor e o ego

O ego, esse ponto que somos da grande rede da vida, fluxo de sentido e valores que atribuímos às nossas interações, limitação que é ter, possibilidade de se dar um belíssimo encerramento a si mesmo utilizando-se do conceito da não-dualidade, aflorando-se no que se é, liberdade que é Ser - pura beleza pura, vida em constante desabrochar, tranquilidade que é estar.

Amor, esse ritmo do coração, esse despertar da consciência, essa bossa do ânimo, essa percussão da razão, esse tamborim dos sentidos.

No espaço da eternidade, onde o tempo se con-funde ao infinito,





O Amor reflete a Lua balsâmica de Áries

Metade de mim é partida,
metade está na jogada,
me lanço ao mar,
meu corpo é minha jangada,
cujo coração brilha à luz do luar.

Na an-coragem de seguir adiante sem medo de ser feliz,

Inspirado na Lua Balsâmica em Áries, que segundo Dimitri Camiloto, reflete o momento de deixar sair e ir embora tudo o que restringe ou nega o ser sem nada de positivo acrescentar.

Que todos possam se beneficiar - sarva mangalam!

quinta-feira, 21 de março de 2013

Amor, órbita do Ser

Somos átomos dançando como sóis, nunca sós, sempre em órbita com outros sons compondo a sinfonia da iluminação, vibração do Ser em Rede.

Na convergência de intenções,

segunda-feira, 18 de março de 2013

O Amor ajuda

Tragédias a cada instante, lamento por toda parte.

O oceano de sofrimento se sente nas ondas de dor que nos chegam de tempos em tempos.

Respira? Então viva. Vive? Então ajuda.

Ouve o teu chamado interno e descobrirás a quem, como, quando - porque o motivo sabemos: somos co-criadores da realidade que vivemos; torná-la-emos o melhor dos mundos possíveis.

Faz mesmo que pouco sempre o correto dentro de teus valores e questiona-os de tempo em tempo, diligentemente a cada passo.

Na ajuda interna que fortifica o socorro externo,

sexta-feira, 8 de março de 2013

A sagrada gestão do Amor




Eis o sagrado, a gestão do Amor; este ato de não perder tempo, mas de conquistar e qualificar o espaço: este vazio que ressalta a singularidade de cada ato , que mesmo cíclico, é eternamente único.

Este vazio que tudo contem e cuja vontade canaliza através de nossas escolhas - o que cultivar? Tudo é cultura, tudo é afirmação de valor.

O hiato só reforça a sentença. O vazio só reverbera o som. O espaço só enobrece o objeto.

A reflexão moraliza a ação. E torna tudo belo.

Quando Schiller fala da educação estética da humanidade isto poderia ser metodologia diária. A arte de criar belas as vontades.

Arte, ars em latim, é técnica. E essa técnica empregada, de contemplar o externo, de abrir-se para a troca, independente do contexto, enobrece-nos por nos dar espaço para que possamos compreender - e assim transformar - nosso contorno, conscientizando-nos de nossa dimensão - concomitantemente finita e eterna -, lapidando-nos a imagem e semelhança de nossos exemplos, representantes dos valores absolutos - eis a importância da estruturação do Todo que define e enquadra a visão que temos do mundo (Weltanschauung).

Como queremos compreender a nossa realidade. Qual o framing para o meu big picture? Como está minha mente? Qual minha (pré) disposição?

Na confissão de si mesmo,

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Amor expandit mens

Sapere aude
Elater animi est
Inanitas amoris

Tradução do sentido:

Ouse saber
A mola propulsora é
A vacuidade do Amor

Derivação do sentido:

O vazio da mente é a maior ousadia do conhecimento, pois possibilita compreender tudo; não como já conhecemos, mas como se manifesta, como fenômeno de aparecimento que é e ao qual damos um valor ao conferir-lhe sentido a partir da liberdade do encontro entre sensação e intenção.

No Amor que expande o ânimo,

(tradução do título deste primeiro haikai em latim)

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Da carne de cavalo ao Amor nas asas da Razão e Emoção

Eis um bom exemplo de como podemos expandir nossa compaixão: refletir racionalmente sobre a diferença de seu bichinho de estimação e aquele que vem servido em seu prato.

Extraindo-se o ato dos papéis de seus agentes, não somos tão diferentes do que todos os vampiros relatados na história: um Ser sedento suga e se nutre da vida de outro Ser; com a diferença de que estes ao menos iam a caça e não se serviam de um vil sistema de subjugação, sofrimento e matança.

Uma vez transpostas as barreiras racionais-ilusórias, deixe agora este Amor por seu bichinho de estimação - mesmo aquele deixado escondido nas memórias da infância - emanar também aos outros animais, que como seu amado bichano também sentem, sofrem e tem tanto direito à vida, quanto medo de morrer: e isso não é papo new age, é comprovado cientificamente.

Na próxima vez que um suculento pedaço de carne estiver sangrando em seu prato, sua boca salivar e sua língua instintivamente tocar seus caninos, lembre-se do Amor que lhe une aos outros seres, de que você faz parte daqueles animais que ao menos pensaram ter superado esta condição (animalesca) e supere seu apetite por destruição para poder canalizar sua energia amorosamente para construir um mundo mais sustentável, que só é possível se edificado no e com Amor.

Escolhe, pois, a vida. Sê forte, Ame.

Na disciplina e fortaleza do Ser, liberdade assegurada pela compaixão,

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Amor, dá-me vida

Tu, cujo nome se esconde sob as vestes da eternidade
cujo semblante toca o infinito,

Tu, a quem busco e venero,
A quem toco com os lábios,
A quem vejo em todos os rostos,
A quem sinto em todos os corações.

Tu, presente em tudo que pulsa,
Força de tudo aquilo que deseja,
Ar de tudo aquilo que respira.

Tu, Amor, és Tu-do!

És tudo aquilo que está por ser,
És tudo aquilo que é,
És esta silenciosa ansiedade que se agiganta no vazio de meu peito
És de todas as cores a matriz que colore a vida
És beleza que se compartilha na ação e no olhar.
És o instante de cada momento eternidade
És presença,
És saudade,
És algo que não tem nome,
És angústia e travessia,
És plenitude de todo Ser.

No mistério do Amor que costura a vida entre o nascimento e a morte,

Amor, jardim das borboletas

De tanto buscar, esqueci de viver.

Só existe uma busca verdadeira e necessária, somente uma que se confunde com a própria vida e esclarece a razão de Ser: tornar-se o que se é.

O segredo? Quintanear!

Cuidar de seu jardim - as outroras desejadas borboletas passam a lhe visitar: nutrir-se da leveza, beleza e harmonia do fluxo natural das ações e simplesmente Ser.

Liberte as borboletas de seu estômago!

No jardim que floresce em nossa mente-coração,

Ser, esta busca que é o Amor

Quanto mais lhe busco,
mais lhe perco
por não aproveitar,
por não lhe viver.

Busco-lhe e no encontro já busco não lhe perder
e nesta busca que não cessa,
me perco por tanto buscar
ao invés de simplesmente ser.

E contemplar
que esta busca seja só uma:
buscar Ser, nada mais
do que Eu Sou.

Nada menos que a entrega total ao momento, esta instância da eternidade presente a cada instante,

Da natureza livre do Amor, destaque de toda existência

Sou livre para ser o meu melhor, mas ainda assim sou obrigado a ser.

A não ser que não seja mais, mas aí não há mais questão, pois só há questão para o Ser, o não-Ser não tem referencial para o diálogo, é puro chaos não-dual.

E se ainda não sou o meu melhor, é porque ainda não compreendi a oportunidade que a vida me deu ao atualizar minha existência em meio ao sem fim de possibilidades da não-existência.

É o Amor que gera a consciência de si e possibilita atualização do chaos em cosmos.

Na obrigação que garante a minha liberdade, chaosmos que sou, destaque de toda existência,

Amor agri-doce

Tornei-me uma pessoa agri-doce
Como se nada de fato fosse
E tudo enfim pudesse ser.

Na desilusão que fortalece o Ser,

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Amor, sede da sede

Amor,
momento de minha memória,
movimento de minha história,
eternidade de meu Ser.

Na sede da sede que sacia o Ser com sua simples existência,

Amor, como queria

Estar contigo
Ser abrigo
Ter-te como meu alguém
Viver coisas que não vivi com mais ninguém

Sei que tudo pode mudar
Mas a esta altura
Só há bem querer, vontade e cuidar
- De ti e de nós com toda ternura.

Na vontade que em teus lábios se encontra,

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Amor Nu

Amor, esta instância da eternidade que torna o espaço infinito e qualifica o instante a um mo(nu)mento da beleza.

Na educação estética do Ser,

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

A liberdade que nutre, cura e é Amor

Teiata Om Bekandze Bekandze Maha Bekandze Radza Samudgate Soha

Mantra do Buda da Medicina em prol dos vitimados no Rio de Janeiro e em todos os cantos do planeta deste vasto oceano de sofrimento.

Que todo aquele que me vir, me ouvir, me tocar ou se lembrar de mim seja liberado.

Na ação que nutre, cura e liberta, puro Amor em ação!

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Amor, perfurme e per forma do Ser

"E vejo flores em você"; te adubo com o que há de melhor em mim, te cultivo com a excelência de meu Ser, te nutro com meu Estar, te sirvo com meu Ter.

Vejo-te flor, mas quem Eu Sou desabrocha na Sublime entrega ao Belo.

No Amor, esse fluxo de dar e receber o que há de melhor-em-si,

Amor, escolha nossa de cada inter-ação

O que se vê é o que se é; o que se quer ver é um potencial será.

Qual a máxima que se escolhe ver, que Lei se resolve adotar?

Na escolha nossa de cada interação,